Skip navigation

Tag Archives: Natação

Diana Gomes, Meeting de Paris - Fotografia de Rita TabordaMuitos conhecem-na, outros nem por isso. É Diana Duarte Gomes, tem 19 anos e é nadadora de alta-competição.

A Diana já está habituada a isto: há sempre um jornalista a querer fazer-lhe perguntas, um fotógrafo a querer tirar-lhe umas fotografias, um curioso a observá-la.

 

Foi quando tinha 14 anos que um mínimo inesperado aos 100 metros bruços a atirou para os Jogos Olímpicos e, consequentemente, para as luzes da ribalta. Carimbou o passaporte para Atenas e quatro anos depois para Pequim.

 

Diana já perdeu a conta às horas que passa dentro de água, assim como ao que tem conquistado com a natação. Sendo uma das maiores referências da natação portuguesa, a brucista confessa não ter ídolos, “O Beckham? Não, ainda por cima é futebolista.” Admira a australiana Leisel Jones, recordista mundial em praticamente todas as distâncias de bruços e adora Gaudí. Dividida entre duas paixões, a natação e a arquitectura, Diana gosta de Leisel pela “incrível forma com que ela desliza na água”. Quanto a Gaudí,  conta “faz perder-me vezes sem conta em Barcelona com as suas obras”.

               

Quando andava no secundário, conseguia conciliar a natação com o colégio. Agora estuda Arquitectura na Universidade Técnica de Lisboa e assume que “é um curso muito prático e é muito difícil gerir tantas horas de treino com tantas horas de curso”. Treinar em ano olímpico e frequentar o curso, como aconteceu antes dos Jogos Olímpicos deste ano, “exigia que me deitasse por volta da uma da manhã e que às seis e meia já estivesse na piscina para treinar. Já não estava a treinar bem e tinha pouco rendimento no curso.”

    

Delineou objectivos e deixou o curso em “stand-by”. Retomou-o este ano e confessa “ter mais tempo para apreciá-lo”.

 

Sempre uma aluna brilhante, tem de fazer imensas opções. “Abdico de ter amigos normais. Quase só tenho amigos da natação, porque eles percebem o que é gostar tanto assim de algo que não seja sair à noite. Muitos colegas de turma perguntam-me por que é que me fecho na piscina em vez de aproveitar a vida. Mas acredito que estou a aproveitar tanto ou mais do que quem me diz isso. Estou a aprender muitas coisas, estou a ter tantas vivências, estou sempre a viajar e a conhecer pessoas do mundo inteiro.” Por outro lado, Diana assume “Diana Gomes, Budapeste 2005 - Medalha de Ouro no Europeu de Junioresa minha família também está na natação.”

                                      

Diana começou na natação como qualquer criança, “os meus pais puseram-me na piscina porque achavam um desporto saudável e eu acho que fizeram bem”, diz, rindo-se. Contudo, “a professora atirou-me para dentro da piscina na primeira aula. Fiquei traumatizada e, no princípio, ganhei medo à água.”

 

Como em qualquer história de heróis que se preze, também Diana teve os seus desafios. Quando tinha nove anos, viu-se obrigada a “exilar-se” com a família na Covilhã. Filha de pais professores, a atleta de Cascais mudou-se para a Beira Interior. Lá, “nadava esporadicamente com o triatleta, também olímpico, Bruno Pais”. Contudo, aos 12 anos, regressa à Linha e inicia as competições pelo clube de natação Associação dos Bombeiros Voluntários dos Estoris (ABVE). É aqui que começam as vitórias e recorda: “isto aconteceu numa competição que ganhei, quando subi ao primeiro lugar do pódio. Era praticamente desconhecida. Foi antes dos Jogos de Atenas. A nadadora que ficou em segundo lugar virou-se para mim e perguntou-me ‘Quem é que tu és?’”.Meeting de Paris - Fotografia de Rita Taborda 

 

Diana passou a figurar em jornais e revistas. Começou a crescer e iniciou-se uma odisseia de recordes, vitórias, medalhas e títulos. Diana Gomes, agora, já não era desconhecida. O estigma do “não pode falhar começou”. Contudo, a atleta é peremptória e admite vezes sem conta “não tenho de provar nada a ninguém.”

               

Quando à alimentação, Diana revela que “apesar de adorar chocolate, mantém uma alimentação equilibrada e tenta cortar nos doces”.

     

Ainda assim, Diana Gomes já teve os seus sustos. “A lesão que tive no ombro em Janeiro foi muito dura. Uma lesão pode impedir-nos de muita coisa. Não tinha nada onde me agarrar. A natação estava pendurada, a faculdade de lado.” Diana agarrou-se à recuperação e conseguiu aquilo que mais queria: apurar-se para Pequim. “Hoje, sei que, apesar de tudo, nunca fiz a travessia do deserto”, como muitos a acusaram. 

     

Rituais? Superstições? “Costumo nadar em seco”, dispara, exemplificando com gestos e descrevendo com palavras. “Faço braçadas fora de água, para me concentrar e focar nos segundos antes de saltar para dentro da piscina”.  

    

Diana nunca se cansou de “contar azulejos”, “forma carinhosa com que nós nadadores descrevemos o treino”. A atleta de Cascais confessa “passo não sei quantas horas por dia dentro da piscina, mas não consigo cansar-me de nadar. Tal como gostamos das pessoas e não sabemos explicar porquê, eu também não sei explicar bem por que gosto tanto de nadar”. 

Anúncios

Perfil

Diana Duarte Gomes, para além da natação e da arquitectura gosta de sapatos. Tem para cima de 50 pares. Mede 1,68, pesa 54kg. Tem 19 anos. Estuda arquitectura, adora moda, vive em Cascais. Já desfilou para as criações de Nuno Delgado. Aprecia as séries de CSI e de Anatomia de Grey.

No início, considerava-se uma outsider. Chegou ao mundo da alta-competição demasiado rápido, não conhecia ninguém. Jantou ao lado de Michael Phelps, em Atenas, sem saber quem ele era. Só no dia seguinte é que percebeu de quem se tratava quando o viu entrar na piscina. 

Hoje, considera ter alguma experiência, mas não vive de ilusões, conhece os limites. Não gosta de pensar no futuro, adora viver o presente.

Actualmente, nada no Clube de Natação da Amadora, é treinada por Filipe Coelho, depois de em Janeiro de 2006 se vir obrigada a sair do antigo clube, o ABVE, e a mudar de treinador, “devido a complicações que me ultrapassam”, admite.

Viveu tempos difíceis, mas superou-os com a sua nova família. Detém, praticamente, todos os recordes nacionais de bruços.

É a Diana Gomes e já tem um clube de fãs.

 

Palmarés 

Campeonato da Europa de Juniores 2004 (Lisboa) Melhor posição:  5º Lugar nos 200m Bruços

Campeonato da Europa de Juniores 2005 (Budapeste):

  • Medalha de Bronze nos 50 metros Bruços
  • Campeã europeia dos 100 metros Bruços
  • Campeã Europeia dos 200 metros Bruços

Campeonato Mundial de Piscina Longa em Montreal, 2005: semifinalista nos 200m Bruços

Presença em Jogos Olímpicos: 2004 (Atenas) e 2008 (Pequim)  

 

 

 

Fotos de Rita Taborda e Agência Reuters

Vídeos Relacionados

Diana Gomes: 200 metros Bruços (Melbourne 2007)

Diana Gomes: 100 metros Bruços (Melbourne 2007)

Diana Gomes: declaração de intenções para os JO 2008

Video de Fã de Diana Gomes